Números em destaque

Desde o início da parceria dos Jogos Santa Casa com o Comité Olímpico de Portugal e com o Comité Paralímpico de Portugal, já foram atribuídas 375 bolsas de educação, num valor superior a 1 milhão de euros, distribuídos por 204 atletas, de 22 modalidades abrangidas.

Atleta Taekwondo sobre fundo com gráficos
identidade do impulso

< 1/4 >

GÉNERO

O desporto feminino está numa fase de crescimento em Portugal.

41% dos Bolseiros do Programa Impulso são mulheres e 59% homens.

41%
Mulheres 41% (83)
59%
Homens 59% (121)

< 2/4 >

PROJETO DE ESPERANÇAS

Os atletas dos Projetos Esperanças Olímpicas, Paralímpicas e Surdolímpicas são jovens que estão numa fase inicial da sua carreira desportiva e para os quais o apoio financeiro pode ser um fator decisivo para que possam manter a sua carreira desportiva e, simultaneamente, os estudos.

Desde o início do projeto, as Bolsas de Educação Jogos Santa, foram distribuídas da seguinte forma:

10%

Projeto de Preparação Paralímpica

4%

Projeto de Preparação Surdolímpica

6%

Projeto de Esperanças Paralímpicas

56%

Projeto Olímpico

24%

Projeto de Esperanças Olímpicas

< 3/4 >

GRAU ACADÉMICO

A maioria dos bolseiros beneficiados pelo Programa frequentaram licenciaturas e mestrados.

Particular destaque para a primeira matrícula em doutoramento atribuída a um atleta da esfera paralímpica, na edição do programa das bolsas 2021/22.

Embora na esfera paralímpica existam mais bolseiros a frequentar o ensino técnico-profissional, esta realidade tem vindo a ser alterada. Atualmente, há mais bolseiros na esfera paralímpica com matrículas em licenciaturas e mestrados.

Paralímpicos

Doutoramento 1%
Licenciaturas e mestrados 70%
Pós-graduações 7%
Cursos Técnico-profissionais 22%

Olímpicos

Licenciaturas e mestrados 97%
Pós-graduações 2%
Cursos Técnico-profissionais 1%

< 4/4 >

ÁREAS DE ESTUDO

No que respeita às áreas de estudo, as preferências dos bolseiros vão para:

25 % saúde
19 % engenharia
17 % desporto
14 % gestão
25 % outras